domingo, 18 de fevereiro de 2018

a gravata e sua história

"Não tem que ser muito perfeito, mas que tenha um pouco de cor", dizia "dujardin" (Jean-Pierre Daroussin) que veste, no filme "Dialogue avec mon jardinier" (filme francês realizado por Jean Becker (2007)), o papel de homem simples que maravilha com a sua franqueza e a simplicidade do seu olhar sobre o mundo.
 
Esta ilustre peça, que é a gravata, como hoje é conhecida, remonta ao tempo dos egípcios, usada como uma espécie de amuleto (Nó de Ísis), em egípcio "tit", que representava o sangue da deusa.
Já os guerreiros chineses a usava em formato de cachecol, como um nó em volta do pescoço, como símbolo de status entre as tropas.
E os oradores romanos usavam-na para aquecer a garganta. Este acessório usado ao longo tempos é feito de tecido rústico, para as classes mais pobres e de algodão, lã ou seda para as elites.
 
Existem dezenas de maneiras de dar o nó de gravata, mas os mais conhecidos são o nó de Windsor, o meio-Windsor, o nó americano e o nó de Shelby, também conhecido com nó de Pratt.
 
E foi assim que eu considerei e não desmoralizei: não tem que ser perfeita, mas que tenha cor e alma, a minha gravata feita em felting. As próximas ficarão melhor!
 
 
 
Boa semana e até breve
Fátima de Haan

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

É Carnaval, ninguém leva a mal!

É Carnaval, ninguém leva a mal! 
E aquela máxima de que a vida são dois dias e o Carnaval são três, não chegou para cumprir os objectivos propostos! O blogue sai mais tarde, contudo não foi por andar a brincar ao carnaval, ou melhor, o meu Carnaval foi outro! e, juro, diverti-me imenso!
Os dias são curtos, as noites são longas, as noites escuras e os dias continuam de sol! Chuva nem vê-la, mas o frio tem dias e anda por aí!
O Carnaval acaba hoje, mas há quem esteja ainda com um pezinho no ar para o próximo fim de semana de folia.
Aqui vos deixo um dos últimos trabalhos que fiz e em que muito me diverti!


O felting não tem limite e a imaginação é o limite, ou nem isso.
O importante é ficarmos contentes com o trabalho final.
Agora regressam os dias calmos, a casa aquecida, a manta aos pés, o fio entre os dedos corre veloz, com ou sem rumo. E se for um projecto criado por nós, sabe melhor ainda!
Votos de boa semana que até é mais curta e até breve!

Fátima de Haan

domingo, 4 de fevereiro de 2018

Lanço aqui um desafio!

Janeiro já se foi,
Fevereiro está a rolar.
Dei corda às agulhas,
e pantufas fui feltrar.
 
Macias e confortáveis,
e quentes como convém,
para o tempo de frio,
que, parece, ainda aí vem!

*******************************

Estas pantufas são super aconchegantes moldáveis ao pé, óptimas para manter seus pés quentes durante qualquer época do ano!

E com os dias de frios que ainda aí vêm até pode ser uma belíssima oferta para oferecer por estes dias.

Lanço aqui um desafio! Qual é o modelo já feltrado?

Até para a semana!
Fátima de Haan



segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Foi uma mistura dos dois lemas ....

Coisas que aprendi e quero partilhar!
As coisas boas e gratas experiências que tenho adquirido com o felting, as tertúlias e a comunicação entre as pessoas que se cruzam comigo e quero partilhar.
Põe o máximo de ti no mínimo que fazes” dizia o Fernando Pessoa – admiro o escritor e sigo à risca esta máxima!
Também há quem use a expressão: põe o mínimo de ti no máximo que fazes”. Conheço alguns!
? E conhecem aquela expressão -  “não deixes para amanhã o que podes fazer hoje?” É o meu lema!
No entanto, também conheço algumas teorias divertidas, que defendem: “Não adies para amanhã o que podes adiar para depois de amanhã!”
Foi uma mistura dos dois lemas que me atingiu em cheio esta semana e a publicação chega, assim, até vós, com um dia de atraso.
Quer seja hoje, amanhã ou para a semana,  o felting estará sempre esperando por vós e com o entusiasmo de sempre!

Aproveite estes dias mais frios e mortos do final de Janeiro para realizar o seu projecto com o seu cunho e o seu estilo pessoal.
 
Junte-se a nós e divirta-se com coisas sérias!

Até para a semana

Fátima de Haan

domingo, 21 de janeiro de 2018

Não se fez sabão nem cera!

A semana prometia. Intensa e divertida!
Foi mais do que isso! Não se fez sabão nem cera! Fez-se felting! Muito felting!
Com cores exuberantes e as mechas Lalalã foram as estrelas de detalhes finais!
Forraram-se sabonetes, fizeram-se flores e colares, aranhas, echarpes e cintos, vasos e aranhas e os adereços coloridos para uma Frida Kahlo.
As imagens falam por si. 
Em Fevereiro há mais!

Até para a semana e juntem-se a nós!
Fátima de Haan







domingo, 14 de janeiro de 2018

Este mês regressam os workshops

Este mês regressam os workshops.
O entusiamo cresce. Os projectos são muitos. E com os novos e fantásticos acessórios de felting e fantásticos livros cheios de cor, de ideias e dicas de felting, com que fui - deliciosamente - mimada (quem não gosta de mimos?) este Natal, a vontade de pôr as mãos na água quente e sabão redobrou. Até porque o tempo convida, verdade?

Aqui vos deixo o calendário dos workshops no mês de Janeiro.
Para se inscrever deverá ligar ou enviar mensagem para os locais, de acordo com a opção pretendida. Os materiais estão incluídos.
Só precisa de levar uma toalha turca (velha).
Aqueçam os motores e participem. Verão que vão gostar.

Com tantas aplicações e possibilidades que o felting nos proporciona, não é de estranhar que, por todo o mundo haja, cada vez mais, apreciadores no fazer desta arte.
O felting é, na verdade, uma mania – económica, ecológica e divertida onde todo o desperdício de lã virgem é aproveitado. Espero que se divirtam tanto como eu!
 
Até breve e tenham uma boa semana! A minha, face ao calendário, é intensa e divertida, certamente!

Fátima de Haan

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Peças com estória!

A nossa vida e o dia-a-dia faz-se de uma manta de pequenos retalhos que fomos costurando ao longo da nossa vida, sem nos darmos disso. Um dia acordamos e a realidade aí nos aparece, nua e crua, por vezes, doce e meiga, em outros.
Amigos e colegas com quem cruzamos na infância, surgem-nos, de repente, e reavivam-nos memórias há muito esquecidas ou adormecidas.
Por estes dias, em que os motores vão aquecendo para o ano que já circula a uma velocidade veloz, quero aqui partilhar o presente que recebi, logo logo a iniciar o ano de 2018.
De uma amiguinha infância, que não vejo há mais de cinquenta anos e, que a vida (e o facebook) nos reencontrou recentemente, surpreendeu-me e presenteou-me com uma caixinha onde vinha guardada a peça que aqui partilho convosco.
Autora de várias peças e muitos e lindos presépios, concebeu esta peça com o pensamento em mim, o que me deixou muito emocionada.
 
A estória da peça é - e cito as palavras da autora -
Pois eu pensei em ti e o teu gosto pelas lãs. Assim, fiz a mais velha (fica sempre bem ser a mais velha que ensina, apesar de, hoje em dia, sermos ultrapassados pela "juventude").
O cenário ficava melhor numa sala, à lareira, mas, olha, faz de conta que era numa tarde de inverno, soalheira, no jardim de casa.
Fi-la a tricotar uma meia para o netinho que dorme placidamente enquanto a mãe o tapa com todo o carinho com uma mantinha de lã.
 
Aqui vos deixo com esta doce e muito apreciada peça da semana, da autoria de Albertina Santos, com uma vontade redobrada de continuar nesta aventura do felting.
 
A vida tem destas coisas boas, não tem ? Será a mantinha em felting?
 
Até breve e tenham uma boa semana!
Fátima de Haan

domingo, 31 de dezembro de 2017

Contam-se as últimas horas do dia e do ano 2017

Bom dia
Contam-se as últimas horas do dia e do ano 2017.
Azáfama constante entre a cozinha e as compras, os presentes e as trocas, a preparação das passas e do espumante para as 12 badaladas.
O ano de 2017 termina e 2108 começa com os votos e brindes de um ano melhor para todos e qualquer um de nós.
Adoro a semana entre o Natal e o fim do ano. Os cheiros gostosos e gulosos, o barulho dos tachos e panelas na cozinha, a campainha da porta a tocar, as portas que se abrem, a cada instante, para receber os amigos e os familiares, as troca de presentes que ainda restam na árvore, as luzes e velas, os chocolates e os frutos secos sobre as mesas. O bolo rei é Rei! E o bule do chá sempre quente e pronto a servir para quem chega.
Graças ao abafador do bule do chá feito em felting!
 
 
E o dia 1 de Janeiro é, para mim, o dia mundial da preguiça. Seja uma vez por ano!
Adoro ficar sentada em frente da TV assistindo ao Concerto de Ano, com o Maestro Riccardo Muti e a Filarmónica de Viena e as Polcas de Strauss que nos entram pela casa dentro, enchendo a atmosfera de música, de calor e de harmonia e este ano, logo pelas 10H30 da manhã. Que boa forma de começar o ano e o dia.
Gosto de começar o Ano a preguiçar! Assim, mais uma vez, espero que seja!

A todos desejo os votos de um bom ANO 2018 e até breve.
Fátima de Haan

domingo, 17 de dezembro de 2017

FELIZ NATAL 2017

Dezembro! É o meu mês!
Terceira semana do Advento!  Tempo de fazer a árvore de Natal, embrulhar os presentes, decorar a casa, preparar a festa para a chegada da família, dos filhos e dos netos! Tempo de alegria e calor humano, dentro de portas e frio lá fora.
Ou fazer as malas e partir para outras paragens! 
Adoro o Natal, as cores e os sabores, as luzes e os presentes, por que não?
A mesa colorida, cheia de gente alegre e feliz, muita ternura, ambientes calmos, aromas quentes, cheiros gostosos e presentes simples e bonitos.


Um Feliz Natal para todos vós e até breve!
 
Fátima de Haan

sábado, 9 de dezembro de 2017

Tertúlia do felt: votos de IKIGAI

Dezembro está instalado. O frio também chegou embora a chuva ande um pouco por outras paragens. Bem falta fazia por cá, mas nada quer connosco. Melhores dias, ou seja,  dias chuvosos virão!


Onze meses se passaram e dos meus milhentos projectos delineados em Janeiro não concretizei 10%. Será erro meu, má fortuna? Mesmo assim, dou-me por satisfeita com os projectos que consegui levar até ao fim.

Isto significa que fiquei com muitos em carteira para o próximo ano, mesmo que não surgissem novos!

Isto significa, também, que encontro no tricot e no felting o meu  IKIGAI, ou seja, a palavra que está na moda e que teve a sua raiz na Ilha de Okinawa, no sul do Japão.
Esta expressão deriva de IKI, que significa vida e KAI, realização de desejos e expectativas, propiciando o encontro da sua “razão de ser” ou “o motivo pelo qual acordam todas as manhãs”.

De acordo com os japoneses, todos temos um IKIGAI. Descobrir o nosso IKIGAI é extremamente importante para nos trazer satisfação pessoal e significado para a vida de cada um de nós.
Não é à toa que na Ilha de Okinawa, e devido também a esta filosofia, as pessoas tendem a viver além dos 100 anos de idade!
Mantenha o seu ritmo de vida activo, crie iniciativas e projectos e o seu IKIGAI bem alto e, quem sabe, chegamos até lá!

Estes são os meus desejos e votos para todos vós, neste final do ano que se aproxima!


Votos de boa semana e até breve!
Fátima de Haan

sábado, 25 de novembro de 2017

um casamento pouco provável : nuno felting

Desenvolvida, por Polly Stirling, uma feltmaker australiana, nos últimos anos do séc. XX esta nova técnica – Nuno felting – tem sido, atualmente, uma das mais populares, na área do felting, pela sua capacidade de criação de peças verdadeiramente surpreendentes.
 
Num casamento quase improvável, esta técnica consiste na utilização conjunta de tecido de seda, linho, organza, chiffon ou algodão com a lã, criando tons, textura e design muito personalizados e criativos e uma peça será sempre única e exclusiva.
 
 
O nome “Nuno” que significa “pano” na língua japonesa, é muito usada para echarpes e peças de vestuário, por tornar as peças mais leves e requintadas, como vestidos de noiva, por exemplo.
 
Um exemplo disso é a exposição FeltPassion que esteve patente em 2015, na Alemanha e Holanda, com uma coleção produzida por mais de 50 artistas de felting, apresentando ao público a sua paixão pelo felting, peças que são autênticas obras de arte e a exposição, um sucesso.  De vestido de noiva a sapatos e chapéus, painéis de parede, taças e potes, acessórios e brinquedos, carpetes e arte têxtil, peças de vestuário fantásticas, uma imensa variedade artística e de infinitas aplicações na área do felting!
O vestido de noiva, num casamento perfeito entre a lã e o chiffon, foi das peças que mais me surpreendeu e um dia destes hei de fazer um.
 
Na Galeria do felt, no livro FAZdeLÃ, vai encontrar alguns exemplos de peças feitas por esta técnica (echarpe, painel de parede e uma almofada) bem como pode aprender por si mesma, como fazer na sua mesa da cozinha.
 
Hoje aqui vos deixo uma echarpe produzida em nuno felting, com os dias de frio que agora entram com o outono, finalmente, a bater à porta e Dezembro a entrar.
 
Boa semana e.... até Dezembro!

Fátima de Haan
 

domingo, 19 de novembro de 2017

Pantufas para todos os pés!

Novembro corre veloz e, este ano, ainda sem chuva, com dias amenos. Contudo as manhãs e as noites estão bem frias e apetece-nos estar quentinhos, sentados no sofá rodeados de mantas, em amenas e doces conversas com a família ou amigos em casa.
E nada melhor do que ter um cesto de pantufas à entrada de casa, para tornar esses momentos mais aconchegantes.
 
Estas peças são tricotadas e, posteriormente, lavadas na máquina da roupa, adquirindo o aspeto feltrado, ganhando robustez e conforto nos pés.
A dificuldade poderá ser na parte inicial, no uso da técnica do magic loop. Pode, em alternativa, ser tricotado com agulhas de meias (5 agulhas).
 
Com as instruções, no livro FAZdeLÃ, será um projeto rápido de concluir para oferecer neste Natal, aos seus amigos e familiares, confortáveis e divertidas pantufas. 
Quanto mais variadas foram as cores mais divertidas e únicas se tornam.
Até para a semana e bons tricots.
Fátima de Haan

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Se eu fosse um robô!

Se eu fosse um robô, teria escrito neste blogue na data prevista, ou seja, no domingo passado, como habitual!
Se eu fosse um robô o meu estado de espírito e físico não estariam abalados e as minhas faculdades estariam inalteráveis.
Porque não sou robô o meu estado, começa agora, lentamente, a voltar à normalidade dos dias.
Porque não sou robô, as minhas tarefas acumulam-se, a uma velocidade de cruzeiro, arbitrariamente, em cima das minha secretária e da mesa de trabalho e ordem de prioridades altera-se a cada momento.
Se as máquinas e os robôs invadirem o nosso mundo futuro, como tanto se apregoou na passada semana, as nossas tarefas ficam muito mais simplificadas e organizadas.
Se com a chegada dos robôs muitos dos empregos desaparecerem, como as notícias tanto tinta fizeram correr na semana passada - e a robô Sophia garante - iremos ter muito mais tempo para fazermos o que mais gostamos. Ai que bom!
MAS!.... por muitas tarefas que os robôs possam fazer - e a robô Sophie diz que sim, os robôs não terão a apetência, sentimentos e emoções, nem as características necessárias para reinarem no mundo do felting. Faltar-lhes-á a sensibilidade necessária para o trabalho artesanal. Tal como para ler um livro!
Essa é que é essa.
Esta semana deixo-vos mais uma peça que um robô - artesanalmente - não faz, mas eu consegui fazer.
E visite a página das sugestões de Natal, para outras ideias.
Até para a semana

Fátima de Haan

domingo, 5 de novembro de 2017

O Solar do gato

Cada gato tem a sua própria personalidade! Miau! Miau!
 
O seu amigo de quatro patas vai ficar radiante com este novo aposento. Faça-o a pensar nele e verá o seu gato lamber-se todo, ronronando feliz, em volta de si e do seu novo aconchego! Até vai pensar que foi de férias e tem casa nova! 
E com os dias de frio que se vão aproximando, lentamente, este ano, vai saber muito bem ao seu companheiro de quatro patas.
 

Mime o seu gato. Mostre-lhe que gosta dele, tal como ele gosta de si. Já viu expressão mais feliz e relaxada?

 
Estenda-lhe a passadeira vermelha. O seu gato merece!  
Nos tons da terra e da natureza, para lhe dar um aspecto de que está no meio do campo, como eles gostam de vadiar. O Nico que o diga!
 
 (Fotos de Julieta Iglésias)
 
Ora toca lá a levantar da cadeira, meta mãos à obra, que o mesmo é dizer, mergulhe-as na lã, na água quente e sabão - que o tempo até convida -  e vamos a fazer uma casinha engraçada e acolhedora para o seu gato! Ou para o gato do amigo que está quase a fazer anos, porque não? 
 
E uma coisa podem crer. Este projecto foi feito com muito carinho e com coração,  para a dona deste lindo gato.  Ao fazer este trabalho e este texto, tentei contagiar-vos com aquela certa dose de loucura saudável que o felting tem e que nos ajuda a descomprimir do dia a dia stressante em que vivemos.
 
Tenham uma boa semana e até breve! Miau! Miau!
Fátima de Haan
 

domingo, 29 de outubro de 2017

O Outono volta sempre!

Aqui estou de volta depois de um intervalo de trabalho intenso e enquadramento de tarefas. 
Parece nunca haver tempo para acabar um projecto ou concretizar uma ideia. Tudo isto sentimos cada um de nós nas inúmeras solicitações que nos surgem, verdade?
Vários são os projectos em curso, neste momento, e a cabeça a fervilhar de ideias que espero poder concretizar nos dias que agora serão um pouco mais sedentários, de volta à base.
O blogue sofreu algumas alterações e foi incluída uma página com alguns dos trabalhos que os novos feltmakers portugueses me fizeram chegar, depois de alguns divertidos workshop de felting, realizados entre Agosto e Setembro.
Tem sido para mim muito gratificante, ver esta arte a ganhar ânimo e pessoas dinâmicas, entusiasmadas a querer meter as mãos na água quente com sabão. Os resultados começam a surgir e o interesse também.
Uma nova página, dentro do blogue também vos apresentará algumas sugestões de trabalhos de felting ou tricot, por tema, semanalmente, ao longo dos próximos meses e até ao Natal.
As temperaturas que teimam em não baixar não são muito convidativas a mexer na lã, também é verdade! Contudo não nos devemos esquecer que o Natal chega, com frio ou sem ele. E os presentinhos são sempre bem vindos. Pequenas lembranças, feitas com carinho, são as mais apreciadas, por aqueles a quem amamos.
Pequenos projectos fazem toda a diferença e marcam o carinho que temos pelos nossos amigos. Estime-os e estimule-os a gostar . Ofereça mimos e mime-os! Eles merecem!
Uma peça simples e pequena, será extraordinariamente bem recebida e apreciada pelo amigo ou familiar a quem oferecemos. Para amigos de todas as idades e género. Vamos por os nossos Millennials e as crianças a mexer!
Ofereça peças feitas por si. Delicie-se a ver o brilho cintilante no olhar da amiga, ou amigo, com o seu presente personalizado e único!

 
Na próxima semana regressam os workshops.
Os interessados deverão enviar-me um email (ver endereço na coluna da direita) para mais informações.



 O Outono volta sempre! Mais dia, menos dia aí estará!
Até para a semana e um bom doce Novembro!

Fátima de Haan

domingo, 15 de outubro de 2017

Admirável mundo novo do Felting

Corriam os anos de 1990.
 
Quem se lembra do programa, na RFM, aos domingos à noite intitulado - Admirável Mundo Novo, com locução de Joaquim Canas?
 
Identidade única e inesquecível, de uma voz inconfundível com um timbre adequado ao final do dia, daqueles tempos. 
 
O título do programa e a música de fundo tinha como tema de abertura a voz de Louis Armstrong e a sua maravilhosa interpretação com o “ What a wonderful world”.
  
Era, à época, o meu preferido programa de rádio, no final do dia e a minha preparação para a semana intensa de trabalho que vivia nesses anos.


Hoje, com o virar de página da vida, as minhas rotinas são outras mas a minha música é a mesma e o meu admirável mundo do felting é este, envolta em novelos e mechas de lã.
 
 
Esta semana o tema são cartões personalizados feitos em felting.
 
 O felting é um admirável mundo novo com grande projectos por e para explorar.
 
Escrever está quase em extinção. Faça-o, mantendo tradições fazendo o mundo admirável.
 
Use a imaginação e crie os seus próprios cartões em felting,  combinando com pequenos detalhes de materiais reciclados e guardados lá por casa.
 
Desejo a todos uma boa nova e admirável semana.

Até breve! Escreva!

Fátima de Haan

domingo, 8 de outubro de 2017

Uma questão de paciência!

Entre as quatro paredes de sua casa, numa tarde inverno, em frente do televisor ou do computador, sem vontade ou paciência para ler o seu livro, esquecido a um canto ou folhear uma revista.
Nunca teve um dia assim?
 
Para os dias “não”, pense positivo! Eu dou-lhe uma dica!

Após algumas horas a esfiar este novelo de BULKY light 100% lã e deixando cair, um pouco ao acaso, as pequenas bolinhas de lã deu este resultado :
Uma bela e elegante túnica, gola ou cachecol, aconchegante nos dias de frio e outono que se aproximam.
 
Um projeto que irá mantê-la, ou sua família, quentes e charmosas, todo o inverno! ou um presente para o aniversário da sua melhor amiga.
Faça um café e respire o seu aroma quente e reconfortante!
E traga, para perto de si, um novelo de fio Bulky light, ou outro tipo de fio desde que seja 100% lã.
Esfie-o, ao longo dos seus 60 metros.

Espalhe-o sobre uma mesa, já forrada com o seu indispensável plástico de bolinhas!
Com água quente e sabão faça-o cingir-se ao seu gosto, tamanho e critério.
 
E repare no linda echarpe ou túnica que pode levar no dia seguinte para o emprego, fazendo as suas delícias e as “doidinhas” de inveja, das suas colegas!
Paciência e tempo - os nossos aliados mais fortes. Esqueça o supérfluo e rápido que só nos leva ao vazio no momento seguinte.
Até para a semana com mais novidades!
 
Até breve
Fátima de Haan

domingo, 1 de outubro de 2017

Vamos a meias!

Bom dia
Há já algum tempo que não vos trazia aqui nada sobre tricot. Verdade?
Se adoro fazer peças em felting, adoro, de igual forma, tricotar.
Há dias de manhã, que tricotar à tarde, é um prazer à noite!
Assim descrevo os meus dias, com o tricot, sempre que posso e por perto. O bichinho do tricot é uma constante nos meus dias. A minha energia advém, em muito, graças a estes hobbies que me ajudam a manter o equilíbrio que promovo na minha vida, em cada dia!
Agora que os dias se tornam mais frescos e vai apetecer algo mais quentinho e de que tantas saudades tínhamos - pelo menos eu, que adoro o outono e detesto o verão - reuni hoje, para vós, algumas das meias que fui tricotando ao longo dos tempos. Muitas foram as que ficaram para a história e apenas na memória, por falta de registo fotográfico. Antes que esqueça, quem sabe as repito, num futuro próximo?
Tricotar meias é um dos projectos que pode andar sempre no nosso saco e podemos levá-las connosco, nos momentos de espera, ao longo do dia.
Deixei de me importar com as horas passadas em salas de espera de um consultório ou num atendimento de serviço público.

Tricotar combate o stress e potencializa a nossa criatividade. Crie as suas próprias meias ou siga projetos que se encontram em revistas da especialidade.

Uns pés bonitos, no conforto da nossa casa ou dentro das botas, dão-nos um certo requinte, não acham? Personalize o seu pé, já que fazer sapatos é um pouco mais difícil, para quem não sabe da arte.
Tricotar não é só um passatempo. É mais do que isso. É alegria, é paixão, é entrega.
E porque se aproxima o Natal e é tempo de preparar as prendinhas doces, quentes e encher de mimos os amigos e a família, estou a organizar uma colecção de peças que, em breve vos trarei aqui, para algumas sugestões de presentes para o Natal. Faltam 84 dias! Não se esqueçam!

Na coluna da direita deixo-vos, por agora, mais alguns exemplos!

Há que estar atento!
Desejo a todos uma boa semana e até breve!

Fátima de Haan

domingo, 24 de setembro de 2017

As bolinhas do plástico!

O plástico de bolinhas é, nos dias de hoje, muito usado para proteger os produtos ou objetos frágeis, em transporte e, hoje em dia é tão vulgar o seu uso, que faz parte dos materiais que deitamos na reciclagem, diariamente.
Nem todos saberão que este produto foi criado por dois engenheiros, Alfred Fielding e Marc Chavannes, em 1957.
Como muitas outras inovações, foi acidental quando tentavam criar um plano de fundo de plástico texturizado, com o verso em papel que pudesse ser, facilmente, limpo. A marca foi registrada pela Sealed Air Corporation (EUA), fundada em 1960 por estes inventores.

Produzido em filme de polietileno de baixa densidade, com bolhas de ar prensadas, o plástico-bolha, ou o vulgarmente designado, plástico de bolinhas, proporciona excelente proteção no embalamento dos materiais mais frágeis e é usado, igualmente, no revestimento de pisos antes da aplicação de carpetes de madeira, visando o isolamento acústico.

Há dias atrás vi um filme “I, Daniel Blake” (um drama, realizado por Ken Loach, Festival de Cannes a 13 de maio de 2016) que despertou o meu interesse pelo filme, que achei divinal, onde demonstra, de uma forma crua, como a vida hoje não se coaduna com os mais velhos e mais necessitados. Enfim o mundo de hoje!
Ele – Daniel Blake - que de tanta ajuda precisa, tenta ajudar os outros que estão bem piores do que ele, usando estas folhas grandes, que deve ter encontrado nos caixotes de reciclagem, para proteger as vidraças das janelas do frio agreste da cidade de Newcastle upon Tyne, no Reino Unido, para dar calor e amor aos filhos Katie - Dylan e Daisy!  

Este material tão versátil não foi pensado certamente por aqueles dois inventores como uma das principais ferramentas no processo de felting.
Se, por um lado, o felting é um processo muito antigo, o mesmo não se poderá dizer em relação às técnicas e instrumentos usados.
Nesses tempos longínquos não teriam, certamente, acesso aos lençóis de plásticos de bolinhas, tão popular e usado no processo, hoje em dia, nos trabalhos de felting, juntando, apenas, água com sabão.
 
Admirados, com o uso deste material? Irão ver que todos (ou quase todos) os instrumentos e ferramentas que necessitam já se encontram numa gaveta ou no seu armário da cozinha.
Até para a semana, que Setembro está a terminar!
O blogue em breve lhe trará sugestões para o Natal, que se começa a cheirar!

Fátima de Haan

domingo, 17 de setembro de 2017

O felting: arte que se estranhava e que agora se entranha!

Tudo começou com um pequena bolinha de lã entre as mãos e uma vontade imensa de experimentar. A agradável sensação da água quente e da lã macia e cheirosa, foi o segundo ponto de partida para uma aventura que não mais parou.
E nada mais foi como dantes. O tempo não para, não volta para trás e em cada dia apetece fazer mais e melhor e criar novas peças.
Tal como uma bola de lã que vai crescendo ou nas agulhas de tricot, novas ideias e projectos se foram tecendo.
E o livro FAZdeLÂ foi o primeiro resultado. E, quase tudo, o livro mudou.
De uma arte que se estranhava em Portugal, começam agora a ver-se e a entranhar-se, os primeiros resultados.
Workshops divertidos, de gentes alegres, partindo à descoberta.

Novos feltmakers entusiasmados, criando os seu projectos, convidados já a participar em feirinhas de artesanato, e expondo as suas peças em espaços próprios.
Tudo isto me dá uma alegria enorme e uma forte vontade de continuar.
De um colar a uma echarpe; de uma base de mesa a uma mala de senhora; de pegas a coletes ou sabonetes, só a imaginação nos para.
Recentemente, o - amável - convite para participar num programa da RTP (A Praça) deu um incremento maior ainda, nos últimos dias a esta arte em Portugal.
E digam lá que o laço não ficou bem, no Jorge Gabriel?! Torto, é verdade, mas bonito e bem apertado!

O blogue que nasceu devagar, devagarinho e tem na ordem das 200 visitas semanalmente, ultrapassou, em três dias, as 1000 visitas.

Obrigada a todos os que me leem e confiam nas minhas palavras. 

O felting é magia, é terapia.
Até para a semana, que já será Outono!
 
Fátima de Haan