domingo, 13 de maio de 2018

O Felting na Feira do Livro de Lisboa

O felting é , literalmente, assim - primeiro estranha-se, depois entranha-se!
Reserve um pouco do seu tempo na tarde do próximo dia 26 de Maio.
Encontrar-me-á -  bem como a nova versão do livro FAZdeLÃ - às 17 horas,  no ESPAÇO CHIADO BOOKS, na Feira do Livro de Lisboa (Parque Eduardo VII) .


Traga a família e os amigos e junte-se a nós numa tarde diferente falando de coisas simples, com um livro numa mão e dois dedos de conversa e falarmos um pouco das artes do felting !



Também poderá reservar já na agenda o dia 9 de Junho, às 16:00, na Livraria Bertrand no Porto - Alameda Shop&Spot , Loja 112 Rua Campeões Europeus 28/198 , 4350 - 414 - Porto.



Mais notícias detalhadas irão aqui sendo anunciadas ao longo das próximas semanas. Visite o blogue regularmente, para acompanhar.
 
Desejo-vos uma boa semana e esperando ver-vos em breve
Fátima de Haan

domingo, 29 de abril de 2018

Livro FAZdeLÃ na Feira do Livro

Bom dia caro leitor do blogue
Um dia de cada vez e as coisas acontecem!
O Livro FAZdeLÃ, tem uma nova cara e apresentação, mais fácil de manusear, numa edição revista e estará presente na Feira do Livro de Lisboa a decorrer entre Maio e Junho.
Reserve um pouco do seu tempo no dia 26 de Maio. Encontrar-me-á no stand da Chiado Editora, na Feira do Livro de Lisboa,  às 17 horas (Parque Eduardo VII), para uma sessão de autógrafos e falarmos um pouco das artes do felting. Traga a família e os amigos e junte-se a nós numa tarde diferente falando de coisas simples, com um livro numa mão e dois dedos de conversa!

Também poderá reservar já na agenda o dia 9 de Junho, às 16:00, na Livraria Bertrand - Alameda Shop&Spot , Loja 112 Rua Campeões Europeus 28/198 , 4350 - 414 - Porto.

Puxando um pouco a cortina, aqui vos deixo um pequeno filme com  algumas imagens da nova versão do Livro FAZdeLÃ!. (clique para abrir o filme)


Mais notícias detalhadas irão aqui sendo anunciadas ao longo das próximas semanas. Visite o blogue regularmente, para acompanhar.
 
Desejo-vos uma boa semana e esperando ver-vos em breve
Fátima de Haan


sábado, 14 de abril de 2018

Retalhos da vida do felting!

A vida tem destas coisas. Algum dia se sentiram como se fossem um balão, que, de repente, sem se saber bem como e porquê, se começa a esvaziar e rodopia, sem se perceber bem o que está a acontecer ou onde vai parar?
Pois foi assim que eu me senti, nas últimas semanas. Um balão rodopiando, sem rumo e sem destino certo. Até quase ia jurar que o meu balão tinha a cor cinzenta. Seria? Não sei!
Passada fase de detecção da "avaria", houve que colocar "tapa-furos" e reiniciar o processo de reenchimento.
É assim que estou, nesta fase que é lenta mas será, certamente, conduzida a bom caminho, até voltar a sentir o balão estar cheio, bonito e pleno de cores bonitas e alegres, subindo!

Querem saber o que me ajudou a superar estes últimos tempo? Claro que adivinham! Foi o tricot e o felting! Confesso que foi mais o tricot, nesta fase, devido ao meu estado de saltarico de poiso em poiso!

Esta peça que aqui vos deixo hoje - uma das minhas primeiras peças em felting - feita há algum tempo, onde foi usado o molde de um balão! Também não recordo que cor tinha o balão, mas a peça tem cores lindas, verdade?


Esta edição chega-vos, agora, com um novo calendário, quinzenalmente, aos domingos à noite!
As minhas ausências, nos tempos que correm, alteraram assim a minha agenda de trabalhos!
No entanto o blogue voltará sempre, com novidades, algumas estórias e retalhos da vida do felting, à mistura.

Até breve e tenham boa semana!
Fátima de Haan



domingo, 1 de abril de 2018

do branco à cor!

Nada se perde, tudo se transforma ou muda de cor ou forma. Esta é, com certeza, uma das grandes máximas no felting, nas técnicas e materiais usados.
As mechas brancas incolores e os fios de tricotar ganharam vida e cor após alguns banhos de tinta.
Usando métodos artesanais, ecológicos com ervas e plantas ou com tinta especial foi uma aventura e novas experiências para dar vida a novos projectos.
E a primavera é, por excelência, a épocas certa para partirmos à descoberta, pelos campos floridos e coloridos, colhendo flores, folhas e ramos, que nos levarão para um mundo desconhecido e imprevisível.
O desafio foi aplicar estas técnicas sobre peças naturais como seda, algodão ou lã darão ao material, cores e degradés que as mechas coloridas não tem, tornando assim, as nossas peças de felting, mais personalizadas e originais.
Aqui vos deixo duas imagens do depois e do antes!

 
Por razões de reorganização de agenda o blogue passará a ter uma periocidade quinzenal, a partir de Abril.
Cá voltarei em breve, desejando-vos uma boa primavera!
Fátima de Haan
 
 

domingo, 18 de março de 2018

moda das meias para os homens!

Devo confessar que tenho várias paranoias (quem não tem???) e uma delas é por meias!
Não posso passar por uma loja de meias sem entrar. E devo assumir que tenho alguma dificuldade em sair da loja sem trazer novo carregamento que entulha a minha gaveta das meias. E que me conhece sabe bem do que falo!
As meias e as lãs são o meu fascínio em compras! Nos últimos anos dediquei-me a tricotar meias coloridas que são a minha paixão, na arte do tricot.
As meia, de todas as formas, modelos e feitios, usam-se em todas as épocas, ocasiões e eventos, das mais neutras e desinteressantes, às mais sofisticadas e coloridas e demonstram a elegância, a irreverência e as preferências de quem as usa.
Os primeiros registos de uso das meias parece ter sido pelas mulheres gregas nos anos 600 a.C. Nessa época, não faziam parte dos acessórios masculinos, por status e protocolo. Hoje, os dias, os gostos e as tendências são outros!
Há dias li um artigo que despertou a minha curiosidade e vem fundamentar as minhas teorias sobre o uso das meias e quão importante são na indumentária de cada um.
Gonçalo Henrique e João Simões, desenvolveram nos últimos tempos uma startup onde explora o filão da moda das meias para os homens. "Em Sillycon Valley, as meias coloridas são consideradas como um troféu - uma espécie de declaração de libertação da vida corporate", comenta Gonçalo Henrique, um dos mentores da Heel Tread, recentemente criada.



No mundo dos homens em que os fatos são cinza, castanho ou azul e as camisas brancas ou azuis, apenas se distinguem pelas gravatas. Com a queda do uso da gravata resta, aos homens que se querem vestir bem, com elegância e personalização, escolher as meias que os distinguem.
 
Por isso, ofereça meias tricotadas, aos homens da sua vida!

Até para a semana
Fátima de Haan 

domingo, 11 de março de 2018

Se o seu banco perdeu a cor ....

Se o seu banco perdeu a cor, o charme e o glamour de outros tempos, não precisa de o deitar fora e substituir por outro. Dê-lhe cor e vida nova. O arco-íris diz-nos sempre que se, de um lado está chuva e temporal, do outro lado o sol brilha.
A semana que passou trouxe-nos arco-íris fascinantes que invadiram os nossos céus. Quanto mais negro estiver o céu de um lado, mais belo é o arco-íris, ou o arco-da-velha, como no passado, na província se dizia. Também é assim com a vida. Passados os maus e negros momentos da vida, desponta-nos, de novo, o sol e relembra-nos quão importante a vida é e tantos momentos desperdiçamos, inutilmente! Eu adoro os arco-íris!
 

Como não gosto de desperdício, encontro sempre uma forma de usar e reciclar. Há dias encontrei na garagem este banquinho, entre os outros quatro, que tinha comprado, há muitos anos, para os meus netos quando eles eram pequeninos. Poucas vezes foram usados e, assim, foram parar à garagem, ao grupo-dos-objectos-sem-destino. E são estes projectos que me entusiasmam tanto.
Decidi fazer uma cobertura com uma manta de felting, ao sabor das cores sobrantes que andavam pela mesa. Ganhou vida nova e vai ganhar dono!
Para além de contribuir para a preservação do meio ambiente, também se economiza dinheiro quando reutilizam objetos antigos, que têm um charme muito mais interessante e onde se cheira ter havido uma história de uma vida passada. E o felting tem essa vertente muito forte! Por isso eu adoro mergulhar nesta técnica.
Eu sempre procuro uma maneira positiva de viver a vida e de tornar a minha semana mais fácil e, em segredo vos digo, que tudo depende de como eu me preparo para ela, organizando as horas o melhor possível, organizando tarefas e gerindo prioridades.

Assim a segunda feira, e os dias depois, chegam sem stress e angústia.
Boa semana e até breve

Fátima de Haan


 

domingo, 25 de fevereiro de 2018

as minhas jorabs

Embora não deve chegar a estas paragens o frio siberiano, previsto para esta semana, para a Europa do Norte (the beast from the east) parece que os frio dias de inverno, cá mais para sul,  já lá vão.
Os pássaros já cantam em dias amenos que se aproximam mas a vontade de andar com as lãs às voltas mantem-se inalterável e os pés quentes ainda apetecem!
Mais ou menos quentes, mais ou menos robustas, mais ou menos macias, há sempre um projecto que nos espera.
A variedade de projetos em Fair Isle Basics aguçam-nos o engenho e a arte e obrigam-nos a aprimorar as nossas habilidades e técnicas de trabalho.  Quanto mais coloridas e motivos extravagantes e intrincados, mais bonitas e ricas se tornam!
Esta meia é projetada para amantes do tricot que gostem de tricotar intarsia em magic loop. É complicado e algo arrojado, mas não é difícil! Exige apenas paciência!
 
São utilizadas duas cores diferentes, e devem ser de cores e tons contrastantes, para realçar o efeito. 
Projectos deslumbrante e provocadores para os amantes da lã e das agulhas!

Boa semana e até breve
Fátima de Haan
 

domingo, 18 de fevereiro de 2018

a gravata e sua história

"Não tem que ser muito perfeito, mas que tenha um pouco de cor", dizia "dujardin" (Jean-Pierre Daroussin) que veste, no filme "Dialogue avec mon jardinier" (filme francês realizado por Jean Becker (2007)), o papel de homem simples que maravilha com a sua franqueza e a simplicidade do seu olhar sobre o mundo.
 
Esta ilustre peça, que é a gravata, como hoje é conhecida, remonta ao tempo dos egípcios, usada como uma espécie de amuleto (Nó de Ísis), em egípcio "tit", que representava o sangue da deusa.
Já os guerreiros chineses a usava em formato de cachecol, como um nó em volta do pescoço, como símbolo de status entre as tropas.
E os oradores romanos usavam-na para aquecer a garganta. Este acessório usado ao longo tempos é feito de tecido rústico, para as classes mais pobres e de algodão, lã ou seda para as elites.
 
Existem dezenas de maneiras de dar o nó de gravata, mas os mais conhecidos são o nó de Windsor, o meio-Windsor, o nó americano e o nó de Shelby, também conhecido com nó de Pratt.
 
E foi assim que eu considerei e não desmoralizei: não tem que ser perfeita, mas que tenha cor e alma, a minha gravata feita em felting. As próximas ficarão melhor!
 
 
 
Boa semana e até breve
Fátima de Haan

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

É Carnaval, ninguém leva a mal!

É Carnaval, ninguém leva a mal! 
E aquela máxima de que a vida são dois dias e o Carnaval são três, não chegou para cumprir os objectivos propostos! O blogue sai mais tarde, contudo não foi por andar a brincar ao carnaval, ou melhor, o meu Carnaval foi outro! e, juro, diverti-me imenso!
Os dias são curtos, as noites são longas, as noites escuras e os dias continuam de sol! Chuva nem vê-la, mas o frio tem dias e anda por aí!
O Carnaval acaba hoje, mas há quem esteja ainda com um pezinho no ar para o próximo fim de semana de folia.
Aqui vos deixo um dos últimos trabalhos que fiz e em que muito me diverti!


O felting não tem limite e a imaginação é o limite, ou nem isso.
O importante é ficarmos contentes com o trabalho final.
Agora regressam os dias calmos, a casa aquecida, a manta aos pés, o fio entre os dedos corre veloz, com ou sem rumo. E se for um projecto criado por nós, sabe melhor ainda!
Votos de boa semana que até é mais curta e até breve!

Fátima de Haan

domingo, 4 de fevereiro de 2018

Lanço aqui um desafio!

Janeiro já se foi,
Fevereiro está a rolar.
Dei corda às agulhas,
e pantufas fui feltrar.
 
Macias e confortáveis,
e quentes como convém,
para o tempo de frio,
que, parece, ainda aí vem!

*******************************

Estas pantufas são super aconchegantes moldáveis ao pé, óptimas para manter seus pés quentes durante qualquer época do ano!

E com os dias de frios que ainda aí vêm até pode ser uma belíssima oferta para oferecer por estes dias.

Lanço aqui um desafio! Qual é o modelo já feltrado?

Até para a semana!
Fátima de Haan



segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Foi uma mistura dos dois lemas ....

Coisas que aprendi e quero partilhar!
As coisas boas e gratas experiências que tenho adquirido com o felting, as tertúlias e a comunicação entre as pessoas que se cruzam comigo e quero partilhar.
Põe o máximo de ti no mínimo que fazes” dizia o Fernando Pessoa – admiro o escritor e sigo à risca esta máxima!
Também há quem use a expressão: põe o mínimo de ti no máximo que fazes”. Conheço alguns!
? E conhecem aquela expressão -  “não deixes para amanhã o que podes fazer hoje?” É o meu lema!
No entanto, também conheço algumas teorias divertidas, que defendem: “Não adies para amanhã o que podes adiar para depois de amanhã!”
Foi uma mistura dos dois lemas que me atingiu em cheio esta semana e a publicação chega, assim, até vós, com um dia de atraso.
Quer seja hoje, amanhã ou para a semana,  o felting estará sempre esperando por vós e com o entusiasmo de sempre!

Aproveite estes dias mais frios e mortos do final de Janeiro para realizar o seu projecto com o seu cunho e o seu estilo pessoal.
 
Junte-se a nós e divirta-se com coisas sérias!

Até para a semana

Fátima de Haan

domingo, 21 de janeiro de 2018

Não se fez sabão nem cera!

A semana prometia. Intensa e divertida!
Foi mais do que isso! Não se fez sabão nem cera! Fez-se felting! Muito felting!
Com cores exuberantes e as mechas Lalalã foram as estrelas de detalhes finais!
Forraram-se sabonetes, fizeram-se flores e colares, aranhas, echarpes e cintos, vasos e aranhas e os adereços coloridos para uma Frida Kahlo.
As imagens falam por si. 
Em Fevereiro há mais!

Até para a semana e juntem-se a nós!
Fátima de Haan







domingo, 14 de janeiro de 2018

Este mês regressam os workshops

Este mês regressam os workshops.
O entusiamo cresce. Os projectos são muitos. E com os novos e fantásticos acessórios de felting e fantásticos livros cheios de cor, de ideias e dicas de felting, com que fui - deliciosamente - mimada (quem não gosta de mimos?) este Natal, a vontade de pôr as mãos na água quente e sabão redobrou. Até porque o tempo convida, verdade?

Aqui vos deixo o calendário dos workshops no mês de Janeiro.
Para se inscrever deverá ligar ou enviar mensagem para os locais, de acordo com a opção pretendida. Os materiais estão incluídos.
Só precisa de levar uma toalha turca (velha).
Aqueçam os motores e participem. Verão que vão gostar.

Com tantas aplicações e possibilidades que o felting nos proporciona, não é de estranhar que, por todo o mundo haja, cada vez mais, apreciadores no fazer desta arte.
O felting é, na verdade, uma mania – económica, ecológica e divertida onde todo o desperdício de lã virgem é aproveitado. Espero que se divirtam tanto como eu!
 
Até breve e tenham uma boa semana! A minha, face ao calendário, é intensa e divertida, certamente!

Fátima de Haan

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Peças com estória!

A nossa vida e o dia-a-dia faz-se de uma manta de pequenos retalhos que fomos costurando ao longo da nossa vida, sem nos darmos disso. Um dia acordamos e a realidade aí nos aparece, nua e crua, por vezes, doce e meiga, em outros.
Amigos e colegas com quem cruzamos na infância, surgem-nos, de repente, e reavivam-nos memórias há muito esquecidas ou adormecidas.
Por estes dias, em que os motores vão aquecendo para o ano que já circula a uma velocidade veloz, quero aqui partilhar o presente que recebi, logo logo a iniciar o ano de 2018.
De uma amiguinha infância, que não vejo há mais de cinquenta anos e, que a vida (e o facebook) nos reencontrou recentemente, surpreendeu-me e presenteou-me com uma caixinha onde vinha guardada a peça que aqui partilho convosco.
Autora de várias peças e muitos e lindos presépios, concebeu esta peça com o pensamento em mim, o que me deixou muito emocionada.
 
A estória da peça é - e cito as palavras da autora -
Pois eu pensei em ti e o teu gosto pelas lãs. Assim, fiz a mais velha (fica sempre bem ser a mais velha que ensina, apesar de, hoje em dia, sermos ultrapassados pela "juventude").
O cenário ficava melhor numa sala, à lareira, mas, olha, faz de conta que era numa tarde de inverno, soalheira, no jardim de casa.
Fi-la a tricotar uma meia para o netinho que dorme placidamente enquanto a mãe o tapa com todo o carinho com uma mantinha de lã.
 
Aqui vos deixo com esta doce e muito apreciada peça da semana, da autoria de Albertina Santos, com uma vontade redobrada de continuar nesta aventura do felting.
 
A vida tem destas coisas boas, não tem ? Será a mantinha em felting?
 
Até breve e tenham uma boa semana!
Fátima de Haan

domingo, 31 de dezembro de 2017

Contam-se as últimas horas do dia e do ano 2017

Bom dia
Contam-se as últimas horas do dia e do ano 2017.
Azáfama constante entre a cozinha e as compras, os presentes e as trocas, a preparação das passas e do espumante para as 12 badaladas.
O ano de 2017 termina e 2108 começa com os votos e brindes de um ano melhor para todos e qualquer um de nós.
Adoro a semana entre o Natal e o fim do ano. Os cheiros gostosos e gulosos, o barulho dos tachos e panelas na cozinha, a campainha da porta a tocar, as portas que se abrem, a cada instante, para receber os amigos e os familiares, as troca de presentes que ainda restam na árvore, as luzes e velas, os chocolates e os frutos secos sobre as mesas. O bolo rei é Rei! E o bule do chá sempre quente e pronto a servir para quem chega.
Graças ao abafador do bule do chá feito em felting!
 
 
E o dia 1 de Janeiro é, para mim, o dia mundial da preguiça. Seja uma vez por ano!
Adoro ficar sentada em frente da TV assistindo ao Concerto de Ano, com o Maestro Riccardo Muti e a Filarmónica de Viena e as Polcas de Strauss que nos entram pela casa dentro, enchendo a atmosfera de música, de calor e de harmonia e este ano, logo pelas 10H30 da manhã. Que boa forma de começar o ano e o dia.
Gosto de começar o Ano a preguiçar! Assim, mais uma vez, espero que seja!

A todos desejo os votos de um bom ANO 2018 e até breve.
Fátima de Haan

domingo, 17 de dezembro de 2017

FELIZ NATAL 2017

Dezembro! É o meu mês!
Terceira semana do Advento!  Tempo de fazer a árvore de Natal, embrulhar os presentes, decorar a casa, preparar a festa para a chegada da família, dos filhos e dos netos! Tempo de alegria e calor humano, dentro de portas e frio lá fora.
Ou fazer as malas e partir para outras paragens! 
Adoro o Natal, as cores e os sabores, as luzes e os presentes, por que não?
A mesa colorida, cheia de gente alegre e feliz, muita ternura, ambientes calmos, aromas quentes, cheiros gostosos e presentes simples e bonitos.


Um Feliz Natal para todos vós e até breve!
 
Fátima de Haan

sábado, 9 de dezembro de 2017

Tertúlia do felt: votos de IKIGAI

Dezembro está instalado. O frio também chegou embora a chuva ande um pouco por outras paragens. Bem falta fazia por cá, mas nada quer connosco. Melhores dias, ou seja,  dias chuvosos virão!


Onze meses se passaram e dos meus milhentos projectos delineados em Janeiro não concretizei 10%. Será erro meu, má fortuna? Mesmo assim, dou-me por satisfeita com os projectos que consegui levar até ao fim.

Isto significa que fiquei com muitos em carteira para o próximo ano, mesmo que não surgissem novos!

Isto significa, também, que encontro no tricot e no felting o meu  IKIGAI, ou seja, a palavra que está na moda e que teve a sua raiz na Ilha de Okinawa, no sul do Japão.
Esta expressão deriva de IKI, que significa vida e KAI, realização de desejos e expectativas, propiciando o encontro da sua “razão de ser” ou “o motivo pelo qual acordam todas as manhãs”.

De acordo com os japoneses, todos temos um IKIGAI. Descobrir o nosso IKIGAI é extremamente importante para nos trazer satisfação pessoal e significado para a vida de cada um de nós.
Não é à toa que na Ilha de Okinawa, e devido também a esta filosofia, as pessoas tendem a viver além dos 100 anos de idade!
Mantenha o seu ritmo de vida activo, crie iniciativas e projectos e o seu IKIGAI bem alto e, quem sabe, chegamos até lá!

Estes são os meus desejos e votos para todos vós, neste final do ano que se aproxima!


Votos de boa semana e até breve!
Fátima de Haan

sábado, 25 de novembro de 2017

um casamento pouco provável : nuno felting

Desenvolvida, por Polly Stirling, uma feltmaker australiana, nos últimos anos do séc. XX esta nova técnica – Nuno felting – tem sido, atualmente, uma das mais populares, na área do felting, pela sua capacidade de criação de peças verdadeiramente surpreendentes.
 
Num casamento quase improvável, esta técnica consiste na utilização conjunta de tecido de seda, linho, organza, chiffon ou algodão com a lã, criando tons, textura e design muito personalizados e criativos e uma peça será sempre única e exclusiva.
 
 
O nome “Nuno” que significa “pano” na língua japonesa, é muito usada para echarpes e peças de vestuário, por tornar as peças mais leves e requintadas, como vestidos de noiva, por exemplo.
 
Um exemplo disso é a exposição FeltPassion que esteve patente em 2015, na Alemanha e Holanda, com uma coleção produzida por mais de 50 artistas de felting, apresentando ao público a sua paixão pelo felting, peças que são autênticas obras de arte e a exposição, um sucesso.  De vestido de noiva a sapatos e chapéus, painéis de parede, taças e potes, acessórios e brinquedos, carpetes e arte têxtil, peças de vestuário fantásticas, uma imensa variedade artística e de infinitas aplicações na área do felting!
O vestido de noiva, num casamento perfeito entre a lã e o chiffon, foi das peças que mais me surpreendeu e um dia destes hei de fazer um.
 
Na Galeria do felt, no livro FAZdeLÃ, vai encontrar alguns exemplos de peças feitas por esta técnica (echarpe, painel de parede e uma almofada) bem como pode aprender por si mesma, como fazer na sua mesa da cozinha.
 
Hoje aqui vos deixo uma echarpe produzida em nuno felting, com os dias de frio que agora entram com o outono, finalmente, a bater à porta e Dezembro a entrar.
 
Boa semana e.... até Dezembro!

Fátima de Haan
 

domingo, 19 de novembro de 2017

Pantufas para todos os pés!

Novembro corre veloz e, este ano, ainda sem chuva, com dias amenos. Contudo as manhãs e as noites estão bem frias e apetece-nos estar quentinhos, sentados no sofá rodeados de mantas, em amenas e doces conversas com a família ou amigos em casa.
E nada melhor do que ter um cesto de pantufas à entrada de casa, para tornar esses momentos mais aconchegantes.
 
Estas peças são tricotadas e, posteriormente, lavadas na máquina da roupa, adquirindo o aspeto feltrado, ganhando robustez e conforto nos pés.
A dificuldade poderá ser na parte inicial, no uso da técnica do magic loop. Pode, em alternativa, ser tricotado com agulhas de meias (5 agulhas).
 
Com as instruções, no livro FAZdeLÃ, será um projeto rápido de concluir para oferecer neste Natal, aos seus amigos e familiares, confortáveis e divertidas pantufas. 
Quanto mais variadas foram as cores mais divertidas e únicas se tornam.
Até para a semana e bons tricots.
Fátima de Haan

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Se eu fosse um robô!

Se eu fosse um robô, teria escrito neste blogue na data prevista, ou seja, no domingo passado, como habitual!
Se eu fosse um robô o meu estado de espírito e físico não estariam abalados e as minhas faculdades estariam inalteráveis.
Porque não sou robô o meu estado, começa agora, lentamente, a voltar à normalidade dos dias.
Porque não sou robô, as minhas tarefas acumulam-se, a uma velocidade de cruzeiro, arbitrariamente, em cima das minha secretária e da mesa de trabalho e ordem de prioridades altera-se a cada momento.
Se as máquinas e os robôs invadirem o nosso mundo futuro, como tanto se apregoou na passada semana, as nossas tarefas ficam muito mais simplificadas e organizadas.
Se com a chegada dos robôs muitos dos empregos desaparecerem, como as notícias tanto tinta fizeram correr na semana passada - e a robô Sophia garante - iremos ter muito mais tempo para fazermos o que mais gostamos. Ai que bom!
MAS!.... por muitas tarefas que os robôs possam fazer - e a robô Sophie diz que sim, os robôs não terão a apetência, sentimentos e emoções, nem as características necessárias para reinarem no mundo do felting. Faltar-lhes-á a sensibilidade necessária para o trabalho artesanal. Tal como para ler um livro!
Essa é que é essa.
Esta semana deixo-vos mais uma peça que um robô - artesanalmente - não faz, mas eu consegui fazer.
E visite a página das sugestões de Natal, para outras ideias.
Até para a semana

Fátima de Haan